segunda-feira, dezembro 13, 2004

Resolvi “desmudar” o que já estava mudado. A partir de agora, este blog volta a se chamar Lost in solitude. Poderia enumerar diversas explicações para isso, mas os motivos se resumem a dois, e são bem simples.
Primeiro: desde que nasceu, este espaço sofreu de dupla personalidade, ora se reconhecendo como uma referência à estima pessoal por certos sentimentos anacrônicos herdados de um estado de deslocamento constante e por um apreço a valores “arcaicos” - podendo ser estes encarados como ultrapassados, importantes ou simplesmente excêntricos - ora como o sentimento solitário contido nas palavras não-compartilhadas e a expressão tímida de pensamentos inconfessados ou não-articulados em sons durante as conversas cotidianas. Ocorre que, depois da mudança de título feita há semanas atrás, tal espaço virou – para simplificar a história - uma zona! Na maioria dos outros blogs em que é mencionado, os links estão com o nome antigo, no contador t-extreme está lá o mesmo nome de antes e, o que para mim pareceu a gota d’água: minha própria pasta de rascunhos para possíveis posts futuros ainda se chama Lost in solitude! Imaginando que tripla personalidade já é um pouco demais até mesmo para um blog que tem lá seus momentos de sincera esquizofrenia, considerei sensato deixar tudo como estava antes.
Segundo motivo: eu simplesmente não me acostumei ao novo nome e achava esquisito toda vez que o via – cheio de palavras compridas, consoantes, e sei lá mais que motivos subjetivos e ilógicos que me fizeram antipatizar com ele, tão logo o publiquei no alto do meu insosso template...
Quanto a ele, ainda (o “ex-novo-nome”), tirei-o de um aforismo de Nietzche. Achei-o interessante, e como já pensava em dar novo título ao blog, por achar “Lost in solitude” um título pedante, americanizado e tristonho (embora a intenção tenha sido das melhores, como deixei claro no segundo post que publiquei aqui, explicando-o) resolvi efetivar a mudança, que agora desfaço. No entanto, pra não passar batido, deixo um trecho da relevante consideração de Nietzche:

“Assim como não apenas a idade adulta, mas também a juventude e a infância têm valor em si, não devendo ser estimadas tão-só como pontes e passagens, do mesmo modo têm seu valor os pensamentos inacabados.”

O que ele diz não é nada demais, mas ainda assim acho que estas suas palavras justificam um pouco a existência de tantos blogs cheios de rascunhos - às vezes até um pouco preguiçosos - de contos, crônicas, poesias e reflexões íntimas...

4 comentários:

patsy disse...

Fábio, adorei esse trecho q vc citou do Nietzche!! nossa, tão curtinho e tão impressionante... e o seu antigo-novo-nome passou a fazer bem mais sentido depois de ler isso :P mas devo confessar que, não sei porque, eu também gosto mais do título Lost in solitude =P

podexá q vou trocar (de novo) o seu link lá no meu template :D hauahuahuua

:*********

fabio disse...

Oba! Que bom que vc gostou mais desse... :p Porque é esse que vai ficar mesmo! hehehehe
Ah... Na verdade, Patsy, Nietzche não fala só isso não, ele fala mais coisas a respeito dos tais pensamentos inacabados, e ele até se refere mais especificamente aos poetas... Mas coloquei esse trechinho porque foi o que achei mais interessante e o que me motivou a mudar o nome...
Ah, valeu tb por alterar (de novo) seu template lá... é tanta consideraçao com meu blog, fico até lisonjeado... hauhauahuaha.
Bjo.

Anônimo disse...

Balloooooon!
Oxe, eu tava tão por fora que nem tava sabendo dessa crise de identidade do seu blog.
:P
Pra mim, ele podia mudar de nome "oitenta e dez" vezes que continuaria a ser o Los in Solitude
Beijooooon, Balloooon!

fabio disse...

É, nunca mais aparece, né? Depois eu é que tô chato... Agora é que vc não tem mais direito de mandar nos meus posts e dizer o que eu devo escrever... hauahuahuaha.